segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

O blog nem põe os pés na calçada da fama e já vai para o balcão




O blog enviou especialmente para Los Angeles o seu co-editor, Washington, para verificar a quantos andam os pés sujos da capital do cinema.

E o que o nosso enviado especial encontrou ate o momento além dos inúmeros fast-foods?

O metido a besta encontrou um restaurante muito do tradicional, frequentado por estrelas de Hollywood, um pouquinho além da Calçada da Fama.

Com fome de comida de verdade e cerveja, nosso amigo se deparou com o Musso & Flank Grill.

Lá chegando, foi enviado diretamente ao balcão. Acho que, pela cara dele, ja perceberam que o negocio dele era balcão.

Acomodou-se e entabulou papo, num perfeito espanhol, com um garçon velhinho, cujo nome é... Manoel.

Não, não era português e sim mexicano. Mexicano com mais de 50 anos de Los Angeles.

Perguntado sobre o país de origem, nosso correspondente, ao pronunciar a palavra Brasil, ja foi ouvindo: "Brasil, meu Brasil brasileiro, lá, lá, lá".

O Manoel, assim como toda a Los Angeles dos velhos tempos sabem o que é bom.

Pé sujo, pé sujo não encontrou, mas a camaradagem dos garçons de Hollywood já está comprovada pelo nosso correspondente.

Garçons, o que seria da gente sem eles?

Play It Again, Sam

Obs.: Nosso correspondente ocupou o lugar preferido do senhor que está na foto com ele. Muito educado e bem humorado, o velhinho americano foi de um gentileza ímpar

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

O que não fazemos por uma cerveja?

video
Vejam, ilustres leitores, o que nós homens somos capazes de fazer só prá garantir uma cerveja tranquila enquanto vemos futebol!!!
A imaginação humana realmente não tem limites!

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Los Wayuu


Como prometí, essa é a capa do livro sobre os wayuu, da Venezuela e Colômbia.
É uma edição capa dura, 29x32 cm, em espanhol e wayuunaiki que, acho, deve ser a primeira vez que um livro é publicado na lingua nativa de uma nação indígena.

domingo, 17 de janeiro de 2010

Outro trio Arijuna


À esquerda, Claudio Lovato, editor do livro sobre os wayuu que eu, Americo Vermelho, ao centro, seguro. À direita, Rogerio Nunes, que fez o projeto gráfico e a direção de arte.
Por falta de tempo, não conseguimos achar um pé sujo nas cercanias da casa do Claudio, em Copacabana, para celebrarmos o final de uma jornada que começou em fevereiro de 2009 (quando o Lovato fez os primeiros contatos em Maracaibo prá começar o livro) e terminou em dezembro 2009, quando foi impresso em Caracas.
Está uma edição primorosa, digna de ser chamada de "um livro de arte", da qual sinto orgulho de ter participado, com uma equipe que sabe o que está fazendo. Sentimos falta de Andres Manner, o nosso querido amigo venezuelano, o outro fotógrafo do livro, nessa tarde de sábado em Copa, onde bebemos alguns chopes para comemorar.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Trio arijuna


Américo Vermelho e Andres Manner. Ele o outro fotógrafo do livro. Gente finíssima. Morou alguns anos no Rio de Janeiro e conhece tudo da malandragem carioca.


Cláudio Lovato e Andrés. O Cláudio foi o editor do livro. Como disse, breve publico aqui a capa.


Estes são meus amigos Claudio Lovato e Andres Manner , saboreando uma autêntica Polar num não menos autêntico pé sujo em Maracaibo, região rica em petróleo da Venezuela.

Estávamos lá para fazer o livro sobre os índios Wayuu, principal etnia indígina do país. O livro saiu recentemente (breve vou publicar a capa e algumas fotos dele).

Nesse dia, quente como qualquer um do verão carioca, não resistimos e fomos atrás de um legítimo pé sujo para aplacar a sede. Recomendamos a cerveja. É boa! Saúde a todos!
(Arijuna é como eles chamam todas as pessoas que não são wayuu).

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Não damos férias aos nossos pés sujos


Chiconquistador, Caio House, Washington Araújo Ostchio
e Guilherme pé de valsa e cana: Homens ao bar

Muito líquido nas férias.
Como choveu que só, corremos em busca de pé sujo onde estávamos mesmo.
Aqui, parte dos fãs de pés sujos espalhados pelo Brasil se esbalda na Ilha do Araújo, em Paraty.
O sobrenome é o mesmo deste que vos tecla, mas é mera coincindência.
Quem me dera.... uma ilha!!!!!
Chuva, suor e cerveja no Tubarão Drinks é que nos coube do latifúndio.