quinta-feira, 15 de março de 2012

Um brinde à poesia, brindemos Leminski

Leminski em sua casa
(foto Américo Vermelho)


Ontem foi o Dia da Poesia.
Como estávamos bebendo a vida, deixamos para hoje comemorarmos o dia e a noite com um dos nossos poetas preferidos, Paulo Leminski. 
Sem mais delongas:


Cinco bares,
dez conhaques
atravesso são paulo
dormindo dentro de um táxi


 pariso
novayorquizo
moscoviteio
sem sair do bar
só não levanto e vou embora
porque tem países
que eu nem chego a madagascar


Parem
eu confesso
sou poeta
cada manhã que nasce
me nasce
uma rosa na face
parem
eu confesso
sou poeta
só meu amor é meu deus
eu sou o seu profeta.

.................

epitáfio para o corpo

Aqui jaz um grande poeta.
Nada deixou escrito.
Este silêncio, acredito
são suas obras completas.

---------------------------------------------
Aproveito o ensejo e publico essa definição de poesia pelo próprio Leminski.
(Américo Vermelho, co-editor do blog).

Um comentário:

Diretoria do blog disse...

Meu caro amigo e co-editor. Bela homenagem à poesia, aos poetas e ao Leminski. Mas só prá informar, essa foto não é do Leminski. Esse é também um poeta curitibano, Tadeu (segue um sobrenome impronunciável), tambem muito amigo dele.
É isso....
abs
Americo